Notícias e Novidades

02/10/2011Moto GP Grande Prêmio de Motegi - Japão

Dani Pedrosa conseguiu a terceira vitória da temporada numa corrida cheia de emoções no Twin Ring Motegi com Jorge Lorenzo em segundo e Casey Stoner em terceiro.

Pedrosa cruzou a chegada em primeiro no que foi um Grande Prémio do Japão repleto de drama onde apenas os dois primeiros dos Top 7 não fizeram incursões para fora de pista, nem sofreram penalizações de passagem pela via de boxes. O GP começou com o homem da pole, Stoner, a disparar para a primeira curva à frente do pelotão, enquanto o companheiro de equipe Dovizioso queimou a largada, o mesmo se passando metros atrás com Marco Simoncelli (San Carlo Honda Gresini Team) e Cal Crutchlow (Monster Yamaha Tech 3).

Valentino Rossi, da Ducati Team, caiu e desistiu na primeira volta, colidindo com Ben Spies, da Yamaha Factory Racing, e forçando o americano a sair da pista. Enquanto isso, Stoner parecia no caminho certo para mais um triunfo, liderando de forma confortável até que também ele fez uma passagem pela escapatória na quinta volta. Pouco depois foi a vez de Héctor Barberá (Mapfre Aspar) ir ao chão, enquanto Nicky Hayden (Ducati Team) ia além dos limites da pista depois de ter rodado na quarta posição.

Lorenzo teve de recuperar algum terreno e progrediu ao longo do pelotão para terminar em segundo, enquanto Stoner ascendeu a terceiro. Simoncelli e Dovizioso cumpriram as suas penalizações e depois deram início a grande batalha para terminarem em quarto, com o piloto da San Carlo Honda Gresini a levar a melhor sobre Dovi, que foi quinto.

Seguiram-se três americanos, com Spies em sexto, à frente de Hayden e de Colin Edwards (Monster Yamaha Tech 3). Hiroshi Aoyama (San Carlo Honda Gresini) evitou o drama e terminou em nono, o mesmo se passando com Randy de Puniet (Pramac Racing), mas com este a fechar a lista dos dez primeiros. Crutchlow foi 11º apesar de sair da pista a que se juntou uma penalização de passagem pela via de boxes.

Kousuke Akiyoshi (LCR Honda) foi 12º, com o companheiro de equipe Toni Elías a ficar a zeros na sequência de queda depois de ter chegado a ser sexto. Shinishi Ito (Honda Racing Team) foi o último a terminar a corrida, em 13º, enquanto Damian Cudlin, que rodou no lugar do lesionado Capirossi na Pramac Racing, foi ao chão quase no fim da corrida e Álvaro Bautista (Rizla Suzuki) caiu quando rodava em quarto.

Karel Abraham (Cardion AB Motoracing) foi vetado pelos medicos e não alinhou na corrida. O checo ainda se está a ressentir da contusão contraída na primeira volta de Aragón.

Moto 2:

Andrea Iannone teve a sua terceira vitória da temporada em Moto2 no Grande Prémio do Japão, depois de uma renhida luta com Márquez, que lidera agora o Campeonato com uma vantagem de apenas um ponto.

Partindo da primeira linha da largada, Andrea Iannone (Speed Master) logo conseguiu chegar à liderança, à frente do homem da pole, Marc Márquez (Team CatalunyaCaixa Repsol), dando início a uma luta renhida pela primeira posição. Stefan Bradl (Viessmann Kiefer Racing) chegou a entrar na disputa, mas acabou por abandonar os lugares dianteiros, terminando no quarto posto, posição que o arredou da liderança do Campeonato por apenas um ponto.

Thomas Lüthi (Interwetten Paddock Moto2) regressou ao pódio com a terceira posição, depois de um fim-de-semana forte. O piloto suíço liderou duas das sessões livres de treinos, garantiu a segunda posição da partida e, finalmente, conseguiu ganhar a luta pela posição mais baixa do pódio a Bradl e Simone Corsi (Ioda Racing Project).

Corsi ficou no quinto posto, à frente de Alex de Angelis (JiR Moto2), com Bradley Smith (Tech 3 Racing) a cruzar a linha de chegada segundos e meio atrás de Angelis, para a sétima posição. Dominique Aegerter (Technomag-CIP) foi oitavo, com Esteve Rabat (Blusens-STX) e Mika Kallio (Marc VDS Racing) a completarem o Top 10.

Jordi Torres (Mapfre Aspar), Raffaele De Rosa (NGM Forward Racing) e Ricky Cardús (QMMF Racing Team) caíram, assim como o Axel Pons (Pons HP 40) e Yuki Takahashi (Gresini Racing). Ainda assim, o nipónico voltou à pista e terminou em 30º.

125:

Johann Zarco alcançou a primeira vitória da carreira em Grandes Prémios à frente das máquinas da Bankia Aspar de Nicolas Terol e Héctor Faubel.

O piloto da Avant-AirAsia-Ajo Zarco conquistou a primeira ansiada vitória com uma corrida limpa no circuito de Motegi, no domingo. O francês já tinha estado por duas vezes à beira do triunfo, primeiro na Catalunha, onde uma ultrapassagem ilegal lhe custou 20 segundos de penalização, e depois num final disputado com Héctor Faubel em Sachsenring.

Zarco partiu da pole, mas o seu adversário Terol conseguiu sair para a liderança, levando atrás de si o companheiro de equipa Faubel. Os três conseguiram fugir dos restantes pilotos, chegando a alcançar uma vantagem de cinco segundos, com Faubel a cair para o grupo dos mais lentos a meio da corrida. O francês de 21 anos conseguiu passar Terol na volta 14, com o espanhol a tentar depois recuperar a liderança, mas a freiar demais e acabar por permitir que Zarco cruzasse a linha da chegada a cinco segundos à sua frente, com Faubel em terceiro, a 13 segundos de distância.

Maverick Viñales (Blusens by Paris Hilton Racing) acabou por conseguir fazer uma recuperação notável depois de ter partido da última linha da largada, após uma queda na volta antes da partida devido a uma correia partida. O piloto de 16 anos terminou em quarto, depois da disputa com Sandro Cortese (Intact Racing Team Germany), que arrecadou a quinta posição, Jonas Folger (Red Bull Ajo Motorsport) que terminou em sexto, Alberto Moncayo (Team Andalucía Banca Cívica) e Adrián Martín (Bankia Aspar), que alcançaram o sétimo e oitavo lugar. Efrén Vázquez (Avant-AirAsia-Ajo) também esteve na disputa pela quarta posição até ao momento em que foi obrigado a desistir devido a problemas mecânicos.

Danny Kent (Red Bull Ajo Motorsport) cruzou a linha da chegada dois segundos à frente de Alessandro Tonucci (Team Italia FMI) e conseguiu garantir o nono posto, enquanto Jakub Kornfeil (Ongetta-Centro Seta) e Marcel Schrötter (Mahindra Racing) alcançaram a 11ª e 12ª posição.

Josep Rodriguez (Blusens by Paris Hilton Racing) e Luis Salom (RW Racing GP) chocaram-se no início da corrida, mas ambos conseguiram regressar à pista. Rodriguez teve de regressar ao box com problemas mecânicos, enquanto Salom terminou na 23ª posição.

Vema ai o Iveco Australian Grand Prix| 16 Outubro | Phillip Island | Australia

Philip Island, a casa do esporte motorizado australiano, está repleto de tradição competitiva, com as primeiras corridas de automóveis a terem sido realizadas em estradas públicas nos anos 20 do século passado. A primeira corrida de motos teve lugar em 1931 e o traçado permanente foi construído em 1956. O circuito caiu no desespero durante os finais da década de 70, inícios de 80, até ter sido comprado em 1985 e ter sido alvo de melhoramentos na ordem dos 5 milhões de dólares australianos. O MotoGP regressou em 1989 e 1990, antes de fazer da pista uma pasagem obrigatória do calendário a partir de 1997.

O Circuito de Phillip Island conta com uma paisagem de cortar a respiração, com o mar em fundo, e é uma das pistas mais rápidas e fluídas do calendário. Continua a oferecer algumas das mais espectaculares corridas de MotoGP todos os anos.

Informação do circuito

Perímetro: 4.448 m. / 2,764 miles

Largura: 13m

Curvas à esquerda: 7

Curvas à direita: 5

Recta mais longa: 900 m. / 0,559 miles

Construído: 1956

Modificado: 1988

Histórico - Outras Notícias

Visite Também

Eventos // Promoções // Mural de Recados

Patrocínio

Twitter Facebook Skype
Força Livre Rádio Rock - Rock n' Roll 24 horas
Ao vivo todas as quintas, às 20h, com Evandro Rogério - 54 9974 2061 - contato@programaforcalivre.com.br